Máscaras: estudo aponta percentual de proteção de cada tecido

Mesmo com sinais de retomada nas atividades em alguns pontos do país, em todos eles é unânime a manutenção da obrigatoiedade da máscara na prevenção ao novo coronavírus.

Mas a qualidade do tecido (e a forma correta de usar)  é decisiva para que as máscaras realmente tenham alguma proteção efetiva.

A cartilha “De olho na covid-19”, elaborada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lista os tecidos e suas respectivas capacidades de filtragem de partículas menores que 300 nm, consequentemente, que oferecem maior proteção. Baixe AQUI  a cartillha completa.

A maior proteção, segundo o estudo, seria a máscara confeccionada com algodão + chiffon, que garantiria 97% de efeciência.

Já o pior desemprenho ficou com o tecido algodão 80 fios (1 camada), que só oferece irrisórios 9% de capacidade de filtragem. Com duas camadas do mesmo tecido, a proteção sobe para 38%.

Confira a tabela completa e previna-se:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP