Lewis Hamilton lembra falta de apoio no início: “Volte para o seu país”

primeira coisa que o hoje heptacampeão da Fórmula 1 Lewis Hamilton fez ao vencer o GP da Turquia, no último domingo, foi dedicar sua vitória para crianças “que sonham com o impossível”. E após a conquista, o piloto da Mercedes voltou a direcionar seu recado para as futuras gerações, utilizando sua trajetória como exemplo de superação das dificuldades e até mesmo da falta de apoio.

– Para as crianças aí, sonhando com o impossível: não desistam desse sonho, porque eu sou a prova viva de que você pode realizar seus sonhos. Lembro, quando eu era criança, de adultos, professores, pais de outros pilotos dizendo que eu não iria conseguir. “Você não vai conseguir. Volte para o seu país”. Todas essas coisas horríveis, e eu lembro de ter pensado que provaria que eles estão errados – recordou o britânico.

De origem humilde, Hamilton esteve longe de ter a mesma vida confortável que muitos de seus atuais colegas de categoria. Seu pai, Anthony, chegou a trabalhar em quatro empregos para mantê-lo correndo – e era ele quem cuidava da manutenção do kart do filho, que começou a competir aos oito anos.

O heptacampeão chegou a morar em conjuntos habitacionais na Inglaterra, onde viveu com o pai, e em outras ocasiões, recordou-se do bullying e do racismo que sofreu na época de escola, período no qual também enfrentou dificuldades por ser disléxico.

– Essa mensagem é para todas as crianças que sentem que não têm voz e estão sonhando com algo grande – concluiu o piloto da Mercedes.

Em 2018, Hamilton revelou ter sofrido com uma acusação falsa na escola que quase prejudicou sua carreira, quando já era tutorado pela McLaren em 2001. O britânico foi expulso e acusado de ter agredido outro estudante junto com colegas, e contou com a intervenção da família – que acionou o primeiro-ministro britânico da época para tentar inocentá-lo. A acusação foi retirada posteriormente pelo colégio.

Quase duas décadas após o episódio, Hamilton se estabeleceu como o maior vencedor da história da Fórmula 1, além dos sete títulos conquistados em seus 13 anos de carreira; o britânico possui até agora 94 vitórias, dez delas conquistadas no atual campeonato, marcado pelo seu engajamento ainda mais latente no combate ao racismo dentro e fora das pistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP